sexta-feira, 30 de dezembro de 2011









A primeira fase concluída, com plantas cedidas pelo Sítio Burle Marx.

Próxima fase (Palmeiras) e pintura.

domingo, 24 de abril de 2011



















Próximo projeto em desenvolvimento...



Harmonização externa deste Centro Comunitário/RJ - com jardins, área de lazer e espaço para oficinas com os jovens.









Meu projeto de
Feng Shui...

Hamonizei este quarto através de um projeto Feng Shui - Bazhai/tao.

segunda-feira, 28 de fevereiro de 2011



Ano Internacional das Florestas, 2011International Year of Forests, 2011Año Internacional de los Bosques, 2011
Celebrando as Florestas para os Povos
A 83ª Reunião Plenária das Nações Unidas declarou, em sua Resolução 61/193, de 20 de dezembro de 2006, o ano de 2011 como o Ano Internacional das Florestas com a finalidade maior de chamar a atenção para o manejo sustentável, a conservação e o desenvolvimento sustentável de todos os tipos de florestas existentes.

MMA » Secretaria de Biodiversidade e Florestas » Ano Internacional da Biodiversidade

Você é biodiversidade. A maior parte do oxigênio que você respira vem do plâncton dos oceanos e das exuberantes florestas ao redor do globo. As frutas e verduras que você come provavelmente foram polinizadas por abelhas, e a água que você bebe é parte de um imenso ciclo global que envolve você, nuvens, chuvas, geleiras, rios e oceanos.

quarta-feira, 26 de janeiro de 2011


O estudante de pós-graduação, da City University of New York, o mexicano Marco Castro Cosio teve uma idéia: que tal ajardinar o teto dos ônibus?
Ele pensou; se a frota de 4500 ônibus, usarem os tetos dos veículos como espaços verdes, a cidade ganharia quase 15 hectares de novos jardins.
Nova York possui uma concentração humana de 10.200 habitantes por km², a diminuição do aquecimento, na cidade, seria um dos benefícios, sendo que averia absorção de CO² e um melhor gerenciamento das águas das chuvas, já a camada do solo agiria como uma verdadeira esponja, retendo e liberando-as, lentamente.

Para que serve a análise do solo.

Através da análise do solo, o paisagista vai saber como está sua fertilidade e obter indicações corretas sobre o tipo e a quantidade de calcário e adubos a serem aplicados.
Ainda é rara essa prática entre a maioria dos paisagistas e empresas que implantam áreas verdes. Tenho observado que, na maioria dos casos, os profissionais se contentam "jogando" um pouco de NPK 10-10-10 e 4-14-8, pensando que, desse modo, estão adubando corretamente as plantas existentes ou, aquelas que irão ser plantadas.