domingo, 11 de julho de 2010


Burle Marx foi um dos maiores, se não o maior, apologista das possibilidades coloríticas dos elementos naturais na elaboração dos espaços abertos que o paisagismo conheceu. Possibilidades que ele anteviu em folhagens de cores intensas, desprezadas ou pouco valorizadas até então, e não somente nos matizes verdes de arbustos e árvores. Ou até mesmo em conjunto de troncos e galhos introduzindo e alargando o repertório expressivo ao alcance do paisagismo moderno.

Eram freguentes suas declarações a respeito do modo com que trabalhava o binômio planta-cor, sintetizando um procedimento: "a planta como a cor, se enriquece de significado quando em contraposição a outra cor ou outra planta".

sábado, 10 de julho de 2010

Modernismo verde - Brasil
A obra que representou a síntese mais acabada da disposição de relacionar arquitetura e paisagismo modernos em contextos urbanos no Brasil, foi a proposta do Museu de Arte Moderna do Rio de Janeiro. Affonso Eduardo Reidy e Roberto Burle Marx estavam juntos novamente para criar um conjunto arquitetônico-paisagístico num dos mais espetaculares trechos da baía de Guanabara, emoldurado pelos caprichosos morros do Pão de Açucar.

quarta-feira, 7 de julho de 2010

Jardim italiano
Caracteriza-se pela utilização de plantas frutíferas, flores, estátuas e fontes em um contexto bastante clássico e funcional. Embora seja muito parecido com o jardim francês, o estilo italiano incorporou o calor dos países mediterrâneos, quebrando a formalidade excessiva, com "licença poética".

Não pode faltar o elemento água, na forma de uma fonte, chafariz ou espelho d'água, normalmente o ponto central de contemplação do jardim. As plantas escolhidas devem ser de origem mediterrânea ou temperada, capazes de aguentar o frio e a seca, mas muito floríferas na primavera.


Outros elementos também se unem harmoniosamente a este jardim, como vasos cerâmicos, esculturas, treliças, arcos, pontes, bancos, etc, sempre traduzindo um clima romântico e clássico.

terça-feira, 6 de julho de 2010


Jardim Francês

Também conhecido como jardim clássico, o jardim francês é considerado o mais rígido e formal de todos os estilos, e se traduz em formas geométricas e simetria perfeita. Seus principais representantes embelezam os palácios de Versalhes e Vau-le-Viconte. Criado no século XVII, durante o reinado de Luís XIV, o estilo demonstra o domínio do homem sobre a natureza e valoriza a grandiosidade das contruções.

segunda-feira, 5 de julho de 2010


Jardim Inglês
O Jardim Inglês é considerado como uma revolução, um manifesto contra os padrões rígidos e simétricos de outros estilos. Ele valoriza a paisagem natural, com formas curvas e arredondas tanto no relevo, como nos caminhos e na construção dos maciços e bosques.

quinta-feira, 1 de julho de 2010


Jardim Japonês
Rikugien em Tóquio é um dos mais belos jardins no estilo Japonês. Construído por volta 1700 por Yanagisawa Yoshiyasu.
Rikugien significa literalmente "jardim seis poemas". Ele reproduz em miniatura cenas de 88 poemas famosos.